Conteúdo giro180

Fracasso em dobro? Marca Toys R Us abrirá 400 shop-in-shops nas lojas Macy’s

Varejo180

25 de agosto de 2021

A marca Toys R Us está se unindo à Macy’s para abrir mais de 400 shop-in-shops dentro das lojas de departamentos da varejista, anunciaram as empresas em um comunicado à imprensa. Mais de três anos se passaram desde que a Toys R Us entrou em falência e liquidou mais de 700 lojas. Desde então, o mercado de brinquedos preencheu alegremente o vácuo deixado pela rede. No ano em que a marca foi liquidada, vários varejistas tentaram ansiosamente obter uma fatia do bolo, incluindo Party City, Kohl’s, J.C. Penney, Kmart e outros. E a Macy’s também vinha tentando.

Até que então, o CEO da Macy’s, Jeff Gennette, anunciou em agosto deste ano a parceria com a Toys R Us, o que pode alavancar o negócio de brinquedos da Macy’s em até quatro vezes, revelou Gennette. A parceria não é inédita para as duas marcas; elas abriram pop-ups juntas há quase uma década. Desde sua liquidação, a marca de brinquedos, da qual os credores da varejista inicialmente se apropriaram, tem tentado manter sua relevância. Lançou pop-ups experienciais, uma colaboração online com a Target e depois com a Amazon. Ela abriu suas próprias lojas por meio de uma joint venture com a b8ta, que fechou em meio à pandemia. Enquanto isso, Walmart, Amazon e Target dividiram amplamente a participação no mercado de brinquedos entre si.

O sócio da varejo180, Zeh Henrique Rodrigues, analisou a parceria: “Duas marcas moribundas se unem para o fracasso. Nos últimos suspiros de vida, a Toys R Us perde totalmente a relevância pois, entre outras falhas, como a falta de propósito claro de marca e consequente carência de atratividade das lojas, não investiu no mercado online. Empresas como a Amazon e Walmart conquistaram parte do share perdido. Tanto Macy’s quanto a Toys R Us estão em declínio há anos e, de várias tentativas de manter-se em pé, poucas ou praticamente nenhuma têm dado certo. Resgatar esse defunto, na minha opinião, não dará resultado”.

LEIA TAMBÉM: A retomada da Macy’s após a pandemia

Fonte: Retail Dive