Conteúdo giro180

Cresce o modelo de Honest Market no Brasil

Varejo180

21 de julho de 2021

Segundo o Diário do Comércio, o modelo de supermercado baseado na honestidade do cliente vem crescendo nos últimos tempos, especialmente durante a pandemia. Marcas como Hirota, Enxuto e Marke4u, juntas, já estão em mais de mil empreendimentos e entram em condomínios para atender ainda mais de perto os consumidores, no modelo conhecido como Honest Market.

O país que viveu o boom dos hipermercados, dos atacarejos, das lojas de vizinhança e dos minimercados, vê agora expandir as chamadas lojas de super proximidade, isto é, aquelas instaladas dentro de condomínios. Com as restrições de circulação de pessoas, a pandemia do novo coronavírus deu gás ao negócio. Mas as empresas, que já estão praticamente nas casas dos clientes, asseguram que este novo formato de loja só tende a crescer no país.

Convidamos Gustavo Carrer, Consultor com mais de 25 anos de experiência em projetos de melhoria de performance empresarial e Retail Thinker da varejo180, para comentar o tema: “O Honest Market ou Varejo da Confiança deve crescer nos próximos anos, impulsionado por consumidores que cada dia mais buscam pela conveniência de comprar perto de suas casas ou dentro dos próprios condomínios, com o mínimo de contato social. Embora o modelo se baseie principalmente na relação de confiança com os clientes, que na esmagadora maioria das vezes são honestos, isso não garante que outros tipos de perdas não ocorram”.

LEIA TAMBÉM: Lojas de rua passam por onda de valorização no Brasil

Carrer explica que, assim como no varejo tradicional, os furtos de clientes neste novo modelo de loja têm impacto pequeno quando comparados com erros operacionais, furtos internos (funcionários e fornecedores), perdas por validade e ruptura de gôndola.”Somente com supervisão permanente das equipes, processos mapeados e controlados as perdas se manterão dentro dos atuais padrões de mercado. Sistemas analíticos de vídeo e de monitoramento de check-outs são os principais aliados nessa jornada”, conclui o Retail Thinker.

Fonte: Diário do Comércio